Saiba como evitar a cãimbra

Especialistas dizem que melhor que comer banana ou peixe, o grande segredo para diminuir a frequência das cãimbras está no bom preparo físico e na hidratação

caimbra

A dor é inconfundível. É só esfriar um pouco ou exagerar no exercício que já se anuncia aquela sensação súbita de que o músculo está se afinado, contorcendo. Os espasmos são frequentes e prolongados e é possível até ver, por um momento, o novo formato do músculo contorcido. “A cãimbra geralmente é sinal de fadiga”, diz o médico Ricardo Munir Nahas, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

A cãimbra é a contração involuntária do músculo. Ainda não se sabe definir a causa específica, mas sabe-se que está relacionada com a falta de preparo físico, temperatura, desidratação e também com a circulação do sangue. “Ela pode ocorrer em qualquer músculo do corpo, principalmente na parte inferior, como coxa e panturrilha”, diz.

Por isso é tão comum aquela cena do jogador de futebol que para repentinamente de correr, levando a mão na perna e reclamando de cãimbra. Quando a atividade física é feita além da conta, a dor logo aparece. O jeito é alongar e massagear o músculo para acabar com a contração. Nahas afirma que para prevenir a dor vale variar o ritmo do treino, não deixando o músculo “esquentar” tanto, além de trabalhar o condicionamento físico.

O cirurgião vascular Walter Campos, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, explica que a contração acontece devido ao excesso de ácido láctico no músculo. “A pessoa faz muito exercício e ocorre a alteração da obtenção de energia. A energia fica acumulada. Para evitar a cãimbra, é bom a pessoa ter um bom preparo físico”, diz.

O alongamento antes do treino não necessariamente vai evitar a ocorrência de cãimbra. “Alongar vai apenas favorecer a amplitude do movimento e com isso cansar menos, mas não vai evitar este tipo de contração muscular se a pessoa não estiver com um bom condicionamento físico”, diz Nahas.

Leia também: Estica, puxa, aquece: a importância do alongamento

Outra dica importante é se hidratar. Nahas explica que não é para beber água na hora da atividade física apenas, mas manter o corpo hidratado sempre, assim a incidência de cãimbra vai diminuir. ” A desidratação influencia na questão do ácido láctico e também na tolerância ao aquecimento do músculo”, disse.

A cãimbra também pode acontecer por causa do frio. É a chamada cãimbra noturna, quando no meio do sono a pessoa acorda com o pé ou a panturrilha se contorcendo. ” Quando dormimos a temperatura corporal diminui, assim como a temperatura externa. Para quem tem este tipo de cãimbra com frequência, a solução é usar uma meia”, diz.

Sinal de algo pior

A cãimbra não é uma doença, mas,em alguns casos, ela pode ser oriunda de doenças. ” Além do excesso de atividade física, outros fatores podem ocasionar cãimbra, como doenças venosas, varizes, sequela de acidente vascular cerebral, ou ainda alteração de eletrólise do sangue. Neste último caso, ocorre a baixa de pressão arterial e minerais como potássio e magnésio não são repostos. O músculo reclama”, diz Campos.

Leia também: Está com sede? Beba leite!

O médico afirma que comer banana, peixe ou qualquer alimento rico em minerais antes do treino também não vai adiantar. ” Isso é bobagem. A absorção dos minerais é muito lenta e não vai ter resultado. É preciso uma boa alimentação regular, todos os dias”, afirma Campos.

Não há estudos conhecidos sobre o fato, mas acredita-se que todo mundo já teve, tem ou vai ter cãimbra um dia. ” O que ocorre é que algumas pessoas podem ter mais propensão. Um atacante, que corre muito mais que um goleiro, ou um velocista, por exemplo, exigem mais dos músculos e provavelmente sofrerão mais de cãimbra”, diz Nahas.

Fonte: http://saude.ig.com.br/ 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>