Dermatite de contato

O que é Dermatite de contato?
A dermatite de contato é uma inflamação da pele causada por contato direto com uma substância irritante.

dermatite

Causas
A dermatite de contato é uma inflamação da pele causada pelo contato direto com uma substância irritante ou causadora de alergia (irritante ou alérgeno). As reações podem variar na mesma pessoa com o passar do tempo. Um histórico de qualquer tipo de alergia aumenta o risco dessa condição.

A dermatite irritante, o tipo mais comum de dermatite de contato, é uma inflamação resultante do contato com ácidos, materiais alcalinos, como sabonetes e detergentes, solventes ou outras substâncias químicas. A reação geralmente tem a aparência de uma queimadura.

A dermatite de contato alérgica, o segundo tipo mais comum de dermatite de contato, é causada pela exposição a uma substância ou material a que a pessoa é muito sensível ou alérgica. A reação alérgica geralmente não é imediata, pois a erupção pode surgir de 24 a 48 horas após a exposição. A inflamação na pele varia de irritação leve e vermelhidão a feridas abertas, dependendo do tipo de irritante, da parte do corpo afetada e da sua sensibilidade.

A dermatite por tratamento excessivo é uma forma de dermatite de contato que ocorre quando o tratamento para outra doença de pele causa a irritação.

Alérgenos comuns associados à dermatite de contato:

Hera venenosa, carvalho venenoso, sumagre venenoso
Outras plantas
Níquel ou outros metais
Antibióticos, principalmente os aplicados na superfície da pele (tópicos)
Anestésicos tópicos
Outros medicamentos
Borracha ou látex
Cosméticos
Roupas e tecidos
Detergentes
Solventes
Adesivos
Odores, perfumes
Outras substâncias ou materiais químicos
A dermatite de contato pode acarretar na reação a uma substância a qual você foi exposto ou que usa frequentemente. Embora possa não haver uma reação inicial, o uso regular (por exemplo, removedor de esmalte, conservantes nas soluções para lentes de contato ou contato frequente com o metal de brincos e relógios) pode, com o tempo, causar sensibilidade e reação ao produto.

Alguns produtos causam reação somente quando entram em contato com a pele e são expostos à luz do sol (fotossensibilidade). Exemplos disso são as loções para barbear, protetores solares, pomadas de enxofre, alguns perfumes, produtos com alcatrão de carvão e sumo da casca do limão. Alguns alérgenos transportados pelo ar, como a tasneira ou um spray inseticida, podem causar a dermatite de contato.

Exames
O diagnóstico é baseado principalmente na aparência da pele e no histórico de exposição a um irritante ou alérgeno.

De acordo com a Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia, o “teste de contato é o padrão de referência para a identificação de alérgenos de contato”. O teste de alergia com adesivos colocados na pele pode isolar o alérgeno suspeito de causar a reação.

O teste de contato é usado em pacientes que têm dermatite de contato crônica e recorrente. Ele requer três consultas médicas e deve ser realizado por um profissional com experiência nos procedimentos e interpretação dos resultados. Na primeira consulta, pequenos adesivos com possíveis alérgenos são colocados na pele. Esses adesivos são retirados após 48 horas para ver se ocorreu alguma reação. Uma terceira visita, cerca de dois dias depois, é necessária para avaliar qualquer reação que não seja imediata. Você deve levar os materiais suspeitos com você, principalmente se já tiver testado esses materiais antes em uma pequena área de sua pele e notado uma reação.

Outros testes podem ser usados para descartar demais causas possíveis, incluindo a biópsia de lesão de pele ou a cultura da lesão de pele (consulte cultura da biópsia de mucosa ou pele).

Sintomas de Dermatite de contato
Coceira (prurido) na pele de áreas expostas
Vermelhidão ou inflamação na pele da área exposta
Sensibilidade na pele da área exposta
Inchaço localizado da pele
Calor na área exposta (pode ocorrer)
Lesões de qualquer tipo: vermelhidão, erupção, pápulas (como espinhas), vesículas e bolhas
Podem envolver exsudação, drenagem ou encrostação
Podem escamar, engrossar ou ficar mais grossa

Buscando ajuda médica
Ligue para seu médico se os sintomas indicarem uma dermatite de contato e se ela for grave ou se não houver melhora após o tratamento.

Tratamento de Dermatite de contato
O tratamento inicial inclui uma lavagem completa com bastante água para remover qualquer traço do irritante que possa ter permanecido na pele. A exposição aos irritantes ou alérgenos conhecidos deve ser evitada.

Em alguns casos, o melhor tratamento é não fazer nada na área.

Os cremes ou pomadas com corticosteroides podem reduzir a inflamação. Siga cuidadosamente as instruções ao utilizar esses cremes porque o uso excessivo, mesmo de produtos com efeito reduzido vendidos sem receita médica, pode causar uma doença de pele complicada. Em casos graves, os corticosteroides sistêmicos podem ser necessários para reduzir a inflamação. Eles geralmente são aplicados com uma redução gradual por cerca de 12 dias para evitar o reaparecimento da erupção. Além do tratamento com corticosteroide, ou em substituição a ele, o médico pode receitar pomada com tacrolimo ou creme com pimecrolimo.

Expectativas
A dermatite de contato geralmente desaparece sem complicações em duas ou três semanas, mas pode voltar se a substância ou o material que a causou não for identificado ou evitado. Pode ser necessário mudar de emprego ou de hábitos profissionais se a doença for causada por alguma exposição relacionada ao trabalho.

Compressas úmidas e cremes anticoceira (antiprurido) calmantes ou secantes podem ser recomendados para reduzir outros sintomas.

Complicações possíveis
Infecções bacterianas secundárias podem ocorrer.

Prevenção
Evite ter contato com alérgenos conhecidos. Use luvas protetoras ou outras barreiras se o contato com essas substâncias for provável ou inevitável. Lave a pele cuidadosamente após o contato com essas substâncias. Evite tratar excessivamente as doenças de pele.

Fontes e referências:
Gober MD, DeCapite TJ, Gaspari AA. Contact dermatitis. In: Adkinson NF Jr, ed. Middleton’s Allergy: Principles and Practice. 7th ed. Philadelphia, Pa: Mosby Elsevier; 2008:chap 63.
Habif TP. Contact dermatitis and patch testing. In: Habif TP, ed. Clinical Dermatology. 5th ed. Philadelphia, Pa: Mosby Elsevier; 2009:chap 4.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>