Arquivo da categoria:Bem estar

Estudo comprova que chocolate amargo pode diminuir pressão sanguínea

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo indica uma análise de 20 estudos, o consumo diário de chocolate escuro pode ajudar a reduzir levemente a pressão sanguínea. A pesquisa foi realizada  pelo grupo Cochrane – colaboração internacional de milhares de especialistas que revisam estudos já realizados.

A causa seria o cacau, que relaxa os vasos sanguíneos. O cacau contém o flavonoide, que faz o corpo humano produzir a substância química chamada óxido nítrico, que “relaxa” os vasos, facilitando a passagem do sangue e, consequentemente, diminuindo a pressão sanguínea.

Os estudos anteriores, combinados pela análise Cochrane, haviam apresentando resultados variados.

A quantidade diária de cacau consumida por cada participante analisado variou de 3g a 105g, mas todos apresentaram uma leve redução na pressão. Uma pressão sistólica de 120 mmHg (milímetros de mercúrio) é considerada normal. O cacau reduziu-a entre 2 a 3 mmHg. No entanto, os estudos duraram apenas duas semanas, portanto os efeitos no longo prazo são desconhecidos.

“Embora não tenhamos ainda evidência de diminuição sustentada da pressão sanguínea, a pequena redução que observamos no curto prazo pode complementar outras opções de tratamento e pode contribuir para reduzir o risco de uma doença cardiovascular”, disse a pesquisadora que liderou a revisão, Karin Ried, do Instituto Nacional de Medicina Integrada de Melbourne, Austrália.

Pressão alta é um problema comum, sendo relacionada com 54% dos ataques cardíacos em todo o mundo e 47% das doenças coronárias.

Entretanto, especialistas dizem que há maneiras mais saudáveis de se diminuir a pressão do sangue já que o chocolate possui muita gordura e açúcar. Há inclusive um alerta na publicação médica Lancet de que o chocolate escuro pode conter menos flavonoide do que se imagina já que a substância pode ser removida por ser amarga.

“É difícil saber ao certo a quantidade de flavonoide do cacau que seria necessária para que seja observado um efeito benéfico e qual a melhor forma de obtê-la”, diz Victoria Taylor da Fundação Britânica do Coração (British Heart Foundation).

“As 100g de chocolate que precisariam ser consumidas diariamente, segundo alguns estudos, também viriam com 500 calorias. Isto é um quarto da recomendação diária para mulheres.”

“Feijões, maçãs e outras frutas também contêm flavonoide e, mesmo vindo em menor quantidades do que no cacau, estas opções tem menos efeitos indesejáveis do que os encontrados no chocolate”, disse ela.

Fonte: Estadão

 

Deixe um comentário

Tempo seco aumenta incidência de doenças respiratórias e resseca pele

No Brasil, estamos acostumados com um inverno frio e, principalmente, muito seco. A baixa umidade do ar provoca uma série de incômodos. Além de ressecara a pele, ele favorece o surgimento de doenças respiratórias. Porntanto, é necessário ter cuidados especiais na proteção contra o tempo seco.

A baixa umidade do ar resseca as vias aéreas e compromete a proteção natural do nariz, que é feita por uma secreção líquida que reveste a região. Isso facilita a entrada de vírus e bactérias – que já se proliferam mais com a temperatura mais baixa – e deixa o corpo mais vulnerável.

O tempo seco também dificulta a dispersão de poluentes. Desde poeira até a poluição que sai dos automóveis, passando por ácaros e fungos, ficam suspensos no ar e podem ser inalados, o que favorece problemas respiratórios e infecções. Quem tem alergia fica bem mais exposto a esses agentes.

Uma consequência comum dessas infecções e alergias é a rinite, uma inflamação da mucosa do nariz. Nesses casos, o corpo passa a produzir mais coriza, o que obstrui a passagem do ar e deixa o nariz escorrendo. A irritação da mucosa também pode gerar sangramento no nariz.

Outra reação comum é a asma, que se manifesta nos pulmões. Durante as crises, ocorre uma inflamação das vias aéreas dentro do corpo. Os brônquios, que levam o ar até os pulmões, ficam mais estreitos, o que dificulta a respiração.

A pele também sofre com a baixa umidade, principalmente nas extremidades aonde chega pouca gordura, como é o caso dos pés, dos cotovelos e das mãos. Hidratantes podem recuperar a pele ressecada – sempre preste atenção e use o tipo mais apropriado à sua característica de pele. Também é possível prevenir o problema – beber bastante água deixa a pele hidratada de dentro para fora.

A boca também tende a ficar ressecada, porque tem menos queratina – uma substância que tem a função de proteger a pele – que as demais regiões do corpo. Passar saliva nos lábios não adiante, e também não se deve retirar pele seca nem cutucar casquinhas, o que pode agravar a lesão. O ideal é usar alguma pomada cicatrizante.

Confira abaixo algumas dicas para te ajudar a enfrentar o tempo seco:

 

Deixe um comentário

Rafael Soares é o ganhador da promoção “Paizão Cheirosão”

Na última semana, a Droga Pires anunciou na sua fan page do Facebook , durante cinco dias, a promoção do Dia dos Pais “Paizão Cheirosão”. Para participar, era necessário curtir a fan page da drogaria, compartilhar a imagem da promoção e automaticamente o participante  já estaria concorrendo a um perfume masculino.

O ganhador poderia escolher entre três opções: Azzaro, Fahrenheit Dior ou Ferrari Black. Esses perfumes são encontrados na perfumaria da Droga Pires.

O sorteio aconteceu no dia 10 de agosto, sexta-feira passada. Quem ganhou a promoção e levou para casa um Azarro foi o sortudo Rafael Soares.

Parabéns, Rafael! A equipe Droga Pires espera que você tenha gostado do presente e aproveitado o Dia dos Pais!

Deixe um comentário

Terapias hormonais antienvelhecimento oferecem riscos

Além de causar ganho de peso, os hormônios ainda podem desenvolver câncer

Para quase todos os problemas estéticos existe uma solução: para as manchas na pele existe maquiagem, para os cabelos brancos, tintura, para as rugas, cremes. No entanto, mesmo com todo o avanço da indústria cosmética, não é possível reverter ou impedir o envelhecimento. Envelhecer é um processo natural do corpo e até hoje não existe nenhum tratamento ou substância capaz de mudar esse fato.
Essa obsessão pela juventude aumentou a procura pelas terapias hormonais antienvelhecimento, condenadas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). De acordo com especialistas, elas pregam que a diminuição dos níveis hormonais no corpo, que começa por volta dos 30 anos, seja a responsável pelo envelhecimento, enquanto a literatura médica indica que o envelhecimento é o responsável pela diminuição dos hormônios. Dessa forma, sem qualquer embasamento, são receitados hormônios que vão desde a testosterona até a gonadotrofina coriônica humana, produzida durante a gestação. Saiba mais sobre os riscos a que os adeptos desse tratamento estão expostos:

Câncer

Alguns cânceres, como o de próstata e o de mama, são considerados hormônio-sensíveis, ou seja, podem ter seu desenvolvimento estimulado pelos níveis hormonais no organismo. Neste caso, pela testosterona e pelo estrógeno, respectivamente. Ainda não se sabe se eles são capazes de gerar um tumor, mas, contribuem para que lesões pré-existentes se desenvolvam Sabe-se ainda que pessoas com níveis de elevados do hormônio do crescimento (GH) também apresentam um risco maior de ter câncer de intestino.

Problemas cardiovasculares

Alguns hormônios, como a testosterona e o hormônio do crescimento (GH), são bastante populares em academias por levarem ao ganho de massa muscular. Porém eles também aumentam o risco de problemas cardiovasculares. A testosterona em excesso estimula o desenvolvimento exagerado do tecido muscular como um todo, inclusive do coração, o que pode obstruir artérias e culminar em um ataque cardíaco. O GH, por sua vez, aumenta a estrutura muscular e dos órgãos, podendo levar à hipertrofia cardíaca. Há ainda a procaína, anestésico que promete emagrecer, mas, na verdade, leva ao aumento da pressão arterial e dos batimentos cardíacos.

AVC

O uso de testosterona a longo prazo também está associado a um risco cinco vezes maior de AVC. Ela aumenta o número de células vermelhas no sangue, que são responsáveis pela coagulação, o que torna o plasma mais viscoso. O problema é que a alta dosagem pode resultar na hipercoagulação sanguínea, podendo entupir um vaso e levar a um derrame. O caso é ainda mais grave quando o paciente sofre de apneia do sono. Isso porque a má oxigenação sanguínea, decorrente dos períodos em que a respiração é interrompida, provoca uma produção maior de células vermelhas que fazem o transporte do oxigênio para os diversos tecidos do corpo.

Atrofia dos testículos

Há muito tempo, especialistas tentam desenvolver uma pílula masculina capaz de inibir a produção de espermatozoides pelos testículos. Um hormônio que tem esse efeito é a testosterona, mas ela também leva à atrofia dos testículos, por isso, o projeto nunca foi para frente. Assim, receitar altas dosagens de testosterona apresenta mais esse efeito colateral. Ela cumpre o papel de inibir as células germinativas, que compõem 80% dos testículos, mas faz com que seu volume diminua.

Ganho de peso

As terapias hormonais também costumam receitar a cortisona, medicamento à base do hormônio cortisol altamente perigoso quando usado fora de suas indicações. Um dos efeitos colaterais da cortisona é o aumento da proliferação de células adiposas, especialmente na região central do corpo. O uso prolongado pode resultar ainda na síndrome de Cushing, em que o depósito de gordura se dá no tronco, no pescoço e no rosto, enquanto que braços e pernas perdem a musculatura e ficam mais finos. A consequência disso é a fraqueza do paciente, principalmente ao caminhar ou subir escadas.

Problemas hepáticos

Como o fígado é responsável pela metabolização de todos os medicamentos, ele pode ser sobrecarregado com a ingestão de altas doses de hormônios ou remédios. A aplicação injetável tem ação direta, então, o perigo maior é em relação àqueles com indicação de consumo via oral, como um tipo de testosterona usada no passado. Isso acontece porque as enzimas do órgão nem sempre dão conta de todos os hormônios consumidos, gerando nódulos que podem evoluir para um câncer.

Apneia do sono

De acordo com a endocrinologista Claudia, o uso do hormônio do crescimento (GH) em excesso pode levar ao inchaço dos órgãos. Entre eles, a língua, problema conhecido como macroglossia. Isso pode não só originar um quadro de apneia do sono, já que a passagem do ar fica bloqueada, como ainda pode piorar um caso pré-existente da doença. Esse agravamento também pode acontecer com altas dosagens de testosterona. E, como vários estudos já mostraram, a apneia do sono é fator de risco para diversas doenças do coração, uma vez que interrompe, ainda que por alguns segundos, a oxigenação do sangue.

Virilização

Crescimento de pelos no rosto, queda de cabelos, acne e retenção de líquidos são apenas alguns dos efeitos colaterais do uso de testosterona sem indicação adequada para mulheres. O hormônio causa ainda alterações comportamentais, deixando a paciente mais agressiva. O uso também pode levar ao engrossamento da voz e ao crescimento do pomo de adão.

Diabetes

Como alguns hormônios levam ao ganho de peso, principalmente na região abdominal, há um risco maior do desenvolvimento do diabetes. Embora a gordura seja fundamental para o bom funcionamento do organismo, ela deve ocupar uma porcentagem pequena do peso corporal e deve estar distribuída de forma homogênea pelo corpo. A gordura acumulada na circunferência abdominal aumenta a produção de substâncias que favorecem o aumento da taxa de glicose, diferente do que ocorre com a gordura acumulada embaixo da pele ou espalhada pelo corpo  esta ajuda a controlar as taxas de açúcar no sangue.

Deixe um comentário

Pesquisa indica que estresse em baixos níveis também pode causar ataque cardíaco e AVC

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma recente pesquisa realizada pela Universidade de Edimburgo, na Escócia, indica que mesmo pessoas que apresentam sintomas iniciais de estresse, ansiedade e depressão correm risco de sofrer derrames e ataques cardíacos. Os resultados foram publicados no periódico British Medical Journal.

Foram analisados dados de mais de 68 mil pessoas com 35 anos em média, todas participantes de uma Pesquisa em Saúde na Inglaterra. Foram calculados os níveis de estresse e ansiedade de todos os participantes e, durante dez anos, os estudiosos relacionaram essas taxas com as causas de mortes que acometeram integrantes do grupo, como doenças cardíacas, câncer e fatores externos.

Após analisar os resultados, os autores da pesquisa concluíram que as pessoas que apresentavam sintomas de estresse, ansiedade e depressão em níveis mais baixos eram cerca de 20% mais propensas a morrer em decorrência de um AVC (acidente vascular cerebral) ou ataquecardíaco. Aquelas que já tinham sintomas graves de estresse e ansiedade corriam até o dobro do risco.

Segundo os pesquisadores, esses resultados mostram que até mesmo as pessoas com sintomas iniciais, que provavelmente ainda não descobriram a doença e não estão fazendo tratamento médico, correm riscos. No entanto, eles afirmam que ainda não é possível estabelecer uma relação de causa e efeito entre problemas psicológicos e ataques cardíacos.

Invista nessa rotina e afaste o estresse

O estresse é uma reação do organismo com componentes psicológicos, físicos, mentais e hormonais, que ocorre quando surge a necessidade de uma adaptação a um evento ou situação de grande relevância. Mesmo que isso pareça um bicho de sete cabeças, é muito fácil fugir do estresse comum do dia a dia – basta adotar alguns simples hábitos.

Na hora do estresse, pense positivo!

O pior que se pode fazer em um momento de estresse é tentar ignorá-lo. Pense em algo que o acalme. Esses pensamentos já devem ser planejados anteriormente, para que a pessoa possa utilizá-los sem ter que ficar procurando o que pensar. Diga para si mesmo coisas como “se conseguir mudar meus pensamentos e relaxar, começarei a me sentir melhor” ou “eu posso controlar meu estresse”.

Trânsito mais tranquilo

Para quem sofre com o estresse no trânsito, o melhor é fazer exercícios de respiração profunda e alongamentos leves sempre que o carro estiver parado ou aproveitar o tempo para ouvir áudio-livros, suas músicas favoritas ou exercitar um idioma.

Durante o trabalho

Se algo o incomoda, procure falar sobre o assunto de uma maneira calma e assertiva. Não assuma mais responsabilidades do que pode dar conta, aprenda a dizer “não” e entenda que todo problema tem fim, pois nada ruim dura para sempre. No trabalho, você também pode investir em ginástica laboral para relaxar.

Hora do almoço

Fazer uma caminhada até o restaurante para almoçar, além de ser benéfico para a saúde, contribui para a diminuição do estresse. Além disso, quando você toma sol, ocorre a liberação de alguns hormônios, como cortisol, que contribui para o alívio do estresse e da ansiedade.

Final do dia

Para não sofrer os efeitos das situações estressantes do dia inteiro, acumuladas no fim do dia, o ideal é se ocupar: vá ao cinema, teatro ou shopping e visite ou receba os amigos em casa. Essas situações contribuem para combater o estresse, que, inclusive, pode refletir na família. Além disso, procure ver a família como um refúgio, em vez de um lugar para descontar os problemas.

Hora de dormir

Ao deitar na cama para dormir, é vital: evitar luzes acesas e barulhos que alternem entre altos e baixos, como o da televisão; manter a temperatura do quarto estável; escolher um travesseiro que tenha entre cinco e 10 centímetros de altura, de forma que a coluna fique reta ao deitar; ter um colchão confortável; evitar dormir com animais de estimação e não usar produtos ou materiais sintéticos em mobília e roupa de cama.

Deixe um comentário

Dores que não devem ser ignoradas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estudos indicam que 64% dos brasileiros costumam se automedicar por causa de uma dor sem procurar ajuda médica. É comum achar que ela é um mal passageiro, tomar analgésico e esperar que a dor se torne insuportável para, finalmente, ir ao médico.

Muitas vezes, uma cólica forte que pode parecer apenas uma lombalgia. Pode Sr um câncer colorretal. A dor é um mecanismo de proteção que avisa quando algo nocivo está acontecendo.

E preciso descobrir a origem do mal-estar. Na dúvida, toda dor precisa ser checada, ainda mais aquela que você nunca sentiu antes. Conheça sete dores que você nunca deve ignorar.

Dor de cabeça 
Dos 10 aos 50 anos, ela geralmente é causada por alterações na visão ou nos hormônios e esses são justamente os casos em que a automedicação aumenta a dor. Isso acontece porque, quando mal usado, o analgésico transforma uma dor esporádica em diária. Acima dos 50 anos, as dores de cabeça merecem ainda mais atenção, pois podem estar relacionadas à hipertensão.

Dor de garganta 
Costuma ser causada pela amigdalite de origem bacteriana ou viral. Se não for tratada, a amigdalite bacteriana pode exigir até cirurgia. A do tipo viral baixa a imunidade e, em 10% dos casos, vira bacteriana. Portanto, essa dor não deve ser banalizada. Se ela persistir, verifique, pois certos tumores no pescoço também incomodam e podem ser confundidos, pelos leigos, como simples infecções.

Dor no peito 
Quando o coração padece, a dor é capaz de se espalhar na direção do estômago, do maxilar inferior, das costas e dos braços. Em geral, isso acontece quando o músculo cardíaco recebe menos sangue devido a um entupimento das artérias. A sensação no peito é como a de um dedo apertado por um elástico e piora com o estresse e o esforço físico. E atenção: o rápido diagnóstico pode salvar a vida.

Dor nas pernas 
É comum culpar as varizes, o que às vezes é injusto, porque a causa pode ser outra. Uma artrose, por exemplo, provoca fortes dores nos pés e nos joelhos e, se não for tratada, piora até um ponto quase sem retorno. A dor pode vir também das pisadas, quando há um erro na posição dos pés ou uso de calçados inadequados. E ainda doenças como hipotireoidismo e diabete, que afetam a circulação nos membros. Há medicamentos específicos para resolver a dor nesses casos.

Dor abdominal 
O importante é saber onde começa. Uma inflamação da vesícula biliar começa no lado direito da barriga, mas tende a se irradiar para as costas e os ombros. Contar esse trajeto ao médico faz diferença.

Nas mulheres, cólicas constantes levantam a suspeita de uma endometriose, quando o revestimento interno do útero cresce e invade outros órgãos. Uma em cada dez mulheres que vivem sentindo dor no abdômen tem essa doença.

Dor nas costas 
A má postura e o esforço físico podem machucar a coluna lombar. É uma dor diária, causada pelo desgaste físico e pelo sedentarismo. Conviver com o tormento não é aconselhável. A dor nas costas, além de minar a qualidade de vida, pode escamotear o câncer no pâncreas também. No caso desse tumor, surge uma dor lenta e progressiva.

Dor no corpo 
Esteja sempre atento às suas emoções. A depressão, por exemplo, pode desencadear um mal-estar que vai da cabeça aos pés. Algumas dores são resultado da dor psicológica. Quem tem dores constantes aparentemente sem causa e que vive triste, pessimista, sem ver prazer nas coisas nem conseguir se concentrar direito, pode apostar em problemas de ordem emocional.

Deixe um comentário

Exercícios aeróbicos são eficazes contra enxaqueca

 

 

 

 

 

 

 

 

De acordo com estatísticas, cerca de 80% das pessoas que sofrem com dores crônicas sofrem de enxaqueca.  Entre os sintomas mais comuns da doença estão: dores intensas em alguma parte da cabeça por várias horas, sensibilidade à luz ou a sons, tonturas, irritação, alteração do apetite e, em crises mais graves, náuseas e vômitos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que a enxaqueca e as diversas cefaleias existentes atormentam 93% da população mundial, afetando mais as mulheres. O grande problema é que, muitas vezes, a enxaqueca costuma ser tratada como uma simples dor de cabeça, porém, é mais complexa e requer tratamento médico específico.

Segundo especialistas, um eficiente remédio natural contra a doença é a prática de atividade física, especialmente os exercícios aeróbicos. Em 2012, um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto de Psicologia Médica na Alemanha encontrou resultados que comprovam a tese de que a atividade aeróbica é eficaz no combate ao incômodo.

Oito pacientes com episódios recorrentes de enxaqueca foram submetidos a três sessões de exercícios semanais com 50 minutos de duração cada, por 10 semanas. As sessões consistiam em um aquecimento de 10 minutos, 30 minutos de corrida leve e 10 minutos de diminuição gradativa da intensidade. Nas primeiras cinco semanas, os pacientes fizeram um programa de adaptação, alternando corrida e caminhada, até que estivessem aptos a trotar durante 30 minutos ininterruptos. Enquanto isso, outro grupo de oito pacientes com histórico similar de episódios de enxaqueca não se exercitou, sendo denominado como grupo controle.

Durante esse período, os pesquisadores observaram que, enquanto o grupo controle continuou sofrendo uma média de quatro enxaquecas por mês, o grupo que se exercitou diminuiu as ocorrências pela metade. Além disso, a intensidade e a duração dos episódios de enxaqueca também sofreram diminuição significativa.

Os resultados mostram que o exercício aeróbico atua de forma benéfica para atenuar a frequência, intensidade e duração das dores de cabeça. Tanto neurologistas, quanto outros profissionais que estudam os efeitos da atividade física na saúde aconselham que se evite a automedicação, já que a recorrência das dores faz com que os remédios viciem e podem causar a dor crônica.

Deixe um comentário

Como seu corpo reage ao inverno

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Explicações e soluções para dilemas, como sentir mais sono e fome nessa época do ano

Normalmente associamos a chegada do inverno à dificuldade de sair da cama, a crises alérgicas, ao aumento da ingestão de chocolate e outros alimentos mais gurdurosos. Mas você já parou para pensar por que as coisas funcionam assim? Afinal, por que sentimos mais sono e fome no inverno?

Para entender cada processo fisiológico, que engloba desde problemas capilares e dificuldades respiratórias até o ressecamento da pele, uma equipe de médicos e profissionais especializados não apenas deram respostas e sugestões úteis. Confira os sete dos maiores problemas a enfrentar nessa estação e algumas dicas:

1- FOME: Como no inverno gastamos muita energia para manter a temperatura corporal estável, nosso metabolismo exige a ingestão de mais calorias. Isso não quer dizer que a estação é um passe livre para comer muito. Sua chegada só deixa mais evidente a importância de uma dieta balanceada. Além disso, há diversos alimentos que ajudam a regulação da temperatura, como a pimenta, o chá verde e a canela. DICA: ingerir alimentos a cada três horas e investir em uma dieta com mais carboidratos complexos, que dão mais energia.

2- SONO: Nosso organismo funciona a partir de prioridades, e no inverno, a principal delas é reduzir o gasto de energia. Isso acontece pelo fato de nosso corpo focar a queima de calorias para manter uma temperatura adequada ao funcionamento do nosso organismo. Assim, como quando dormimos o gasto de energia se torna mínimo, a atividade é de certa forma, incentivada pelo corpo. Mas não se engane: não querer levantar logo cedo para trabalhar é, provavelmente, preguiça de sair debaixo das cobertas. DICA: manter-se ativo com atividades que corpo e mente, além de cultivar uma dieta equilibrada, com variedade de nutrientes.

3- MAU HUMOR: O mau humor no inverno está intimamente ligado à menor produção de serotonina, substância que promove a sensação de bem-estar. Ela é responsável por regular reações como sono, saciedade e até enxaqueca. Assim, é normal ficarmos desanimados e – até pelo frio- menos propensos a sair de casa. Além disso, a diminuição da prática de exercícios também reduz a produção dessa substância. Porém, o mau humor constante e agudo pode significar problemas maiores, como a depressão. DICA: aproveite toda oportunidade de tomar um solzinho, de preferência no período da manhã, pois ele estimula a produção de serotonina.

4- PELE SECA: Típico sintoma do inverno, a pele seca também é favorecida pela idade avançada, pela menopausa e até por problemas respiratórios. Isso porque quem se enquadra em qualquer um desses perfis tem menor capacidade de produção do manto lipídico, camada natural de gordura da pele. Além desses fatores, colaboram para o ressecamento a secura do ar, a poluição, os banhos quentes e o atrito com esponjas e sabonetes. DICA: utilize sabonete apenas nas axilas, nos genitais e nos pés. As demais regiões do corpo são limpas de forma eficiente apenas com a espuma que corre pelo corpo.

5- DORES NA ARTICULAÇÃO: A circulação sanguínea fica menos eficiente no inverno, resultado do que chamamos de vasoconstrição. Dessa forma, não só a passagem do sangue, mas de todos os fluidos do nosso corpo ficam comprometidos. Um desses fluidos é o líquido sinovial, que fica dentro das articulações, como a dos joelhos e dos cotovelos, e é responsável por lubrificá-las. Portanto, com uma lubrificação deficiente, é normal sentir dores nessas regiões. Mesmo assim, dependendo da intensidade da dor, é recomendável consultar um médico especialista para diagnosticar o problema. DICA: fazer exercícios, pois eles estimulam a circulação, ou pelo menos, fazer um breve alongamento todos os dias.

6- DOENÇAS RESPIRATÓRIAS: Para muitas pessoas o inverno é sinônimo de gripe, resfriados e tosses alérgicas, como a asma. Tudo isso é resultado do ar mais seco e da poluição concentrada, características da estação. O ressecamento das mucosas diminui as defesas do corpo, favorecendo a entrada de corpos estranhos que estão espalhados pelo ar de baixa qualidade. Além disso, no frio costumamos ficar em lugares fechados, mesmo se houver muitas pessoas no mesmo ambiente, facilitando a aglomeração e transmissão de vírus e bactérias. DICA: procure arejar os cômodos da casa, beber bastante água, fazer limpeza do lar regularmente e colocar uma bacia de água ou umidificador nos quartos.

7- DOENÇAS CARDÍACAS: A baixa temperatura provoca a vasoconstrição, que é a contração dos vasos sanguíneos. Mas, se para as pessoas comuns isso não acarreta grandes consequências, para quem tem doenças cardíacas o fenômeno é um problemão, pois aumenta as chances de ataques cardíacos. Outro fator que contribui para sua incidência é o choque térmico. Acostumados ao calor, ou pelo menos, a temperaturas mais amenas de interiores, os vasos sofrem uma contração brusca ao respirarmos o ar gelado externo. Por fim, como problemas respiratórios costumam piorar no inverno, a oxigenação sanguínea também diminui, o que facilita a ocorrência de doenças cardíacas. DICA: manter-se bem agasalhado e colocar o cachecol e blusa sobre o nariz, como um inalador, para evitar a entrada direta de ar frio.

Fonte: Minha Vida

Deixe um comentário

Cuidar melhor da saúde dos olhos durante o inverno é essencial

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Catarata, glaucoma e conjuntivite, são doenças que as pessoas, de maneira geral, costumam relacionar com problemas relativos à saúde ocular, mas  ignoraram o fato de que o estilo de vida ou doenças em outros órgãos podem influir diretamente na qualidade da visão. Muitas vezes isso acontece por falta de informação.

O alerta foi feito à Agência Brasil pela médica e especialista em glaucoma do Centro de Oftalmologia do Hospital São Vicente de Paulo do Rio de Janeiro, Luisa Aguiar.  A médica oftalmologista diz que, principalmente nesta época do ano – quando pessoas tendem a ficar mais próximas e em locais fechados devido à predominância de baixas temperaturas – a preocupação com a higiene deve ser maior e é fundamental para se evitar prejuízos à qualidade da visão.
Entre as dicas de Luisa para se ter uma uma boa qualidade visual, estão: lavar as mãos com mais frequência, evitar aglomerações e estar sempre alerta. Segundo a médica, os hábitos de vida estão diretamente relacionados à saúde ocular. Fumantes, sedentários e pessoas que ingerem pouca água e nutrientes ficam mais vulneráveis aos problemas visuais por terem reduzida a capacidade de defesa do organismo.

Diabetes e hipertensão arterial, por exemplo, também podem comprometer a visão de forma irreversível. A especialista alerta que infecções como a dengue, por exemplo, podem desencadear hemorragias no globo ocular e causar, em consequência, distúrbios “graves” na retina.

De acordo com Luisa, é recomendável que, a partir dos 40 anos, as pessoas consultem anualmente um oftalmologista. É sempre mais eficaz prevenir do que tratar e engana-se quem pensa que apenas as doenças crônicas afetam a visão.

Membro da Sociedade Brasileira de Cataratas e Implantes Intraoculares e também do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, o médico e especialista Glauber Marques diz que a baixa umidade do ar nessa época do ano, combinada com a maior proximidades das pessoas em locais fechados, podem ressecar os olhos.

Em sua avaliação essa combinação de fatores é explosiva quando o assunto são infecções oculares. “A incidência de conjuntivites como a tracoma [infecção bacteriana altamente contagiosa] e herpes ocular [infecção viral] tende a aumentar nos dias mais frios”.

Na avaliação do especialista, a melhor forma de combater essas doenças contagiosas é evitar aglomerações, ventilar os ambientes e lavar as mãos com frequência. “Boa alimentação, atividades físicas regulares e ingestão de água com frequência ainda maior ajudam a proteger os olhos”, diz.

Deixe um comentário

Produtos inusitados para beleza e bem estar chamam atenção em feira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

7º Congresso Internacional Consulfarma apresenta peeling com veneno de cobra a comprimido que melhora o humor

Um peeling feito a partir de veneno de cobra, um gloss inibidor de apetite e um comprimido que promete melhorar o humor em três horas. Esses são alguns exemplos dos produtos inusitados que foram expostos no 7º Congresso Internacional Consulfarma, voltado para profissionais das áreas de farmácia, medicina, nutrição e cosméticos. O evento aconteceu nos dias 5, 6 e 7 de julho, e reuniu cerca de 60 expositores no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo.

Além de ter exposto produtos inusitados e que prometem ser milagrosos,  o evento possuía um espaço em que as pessoas podiam produzir o seu próprio creme hidratante: a Cosmeteria. De produtos com ação anti-idade e antioxidante à redução de celulite ou clareamento da pele, o cliente escolhia quais benefícios queria incluir no seu recipiente.

Na Cosmeteria estão reunidos os produtos mais exóticos da feira, como o chiclete da beleza. É enriquecido com 10mg de silício orgânico e promete melhorar a aparência da pele, do cabelo e das unhas. Basta mascar um por dia para os resultados aparecerem.

O peeling com veneno de cobra parece assustador, mas Maurício Pupo, presidente da Consulfarma, explica que uma das composições desse peeling é um peptídeo sintético chamado waglerina, feito na Suíça, baseado no veneno da cobra chamada wagléria, que paralisa a vítima ao picá-la. E é exatamente essa ação que esse produto tem na musculatura. Pupo ainda afirma que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) jamais permitiria que fosse usado veneno de cobra real em um cosmético. Em apenas 20 minutos o produto começa a fazer efeito, renovando a pele e disfarçando rugas, como se imitasse a ação de um botox.

Para a saúde e bem estar, há produtos como um comprimido que promete melhorar o humor em apenas três horas. Ao ingeri-lo, nosso organismo produz a serotonina. Essa reação traz uma sensação de prazer ao mesmo tempo em que reduz os níveis sanguíneos de cortisol, conhecido como o hormônio do stress.

Também há um gloss labial com inibidor de apetite que garante contribuir com a reeducação alimentar, pois sempre que a fome vier fora dos horários de refeição, o batom pode ser usado para fazer a vontade sumir. O principal componente da sua fórmula é o açúcar extraído da framboesa.

A expectativa é que essas invenções cheguem logo ao consumidor final, segundo Pupo. “Por causa do congresso, nesta segunda-feira, 09, já chegam às farmácias de manipulação. Mas só a partir de um ano, mais ou menos, as indústrias começam a fabricar, porque existe um processo mais lento em relação à industrialização por conta de alguns procedimentos como registro na Anvisa”.

Esperamos que cheguem logo às farmácias!

Fonte: Site Estadão

 

Deixe um comentário

Page 3 of 41234